Janette Sadik-Khan no IAB/RJ

Prestigiamos a palestra com a ex-secretária de transportes de Nova York e diretora do Bloomberg Associates, Janette Sadik-Khan, realizada na segunda-feira, 22 de setembro, reuniu arquitetos, urbanistas e estudantes de arquitetura, que lotaram o auditório do IAB-RJ. Ao apresentar os projetos inovadores para a mobilidade urbana da cidade americana, a arquiteta reconheceu a importância das ruas e defendeu os investimentos em infraestrutura como “pedra fundamental” no plano de requalificação urbana de Nova York.

Janette Sadik-Khan explicou que as ruas de Nova York foram projetadas para o deslocamento de carros e não foram pensadas para as pessoas nem para o conforto do pedestre. Para a americana, as ruas são os recursos mais valiosos da cidade, mas foram subutilizadas. “O prefeito Michael Bloomberg, ao iniciarmos o nosso trabalho, reconheceu a importância de revermos nossos projetos e programa de sustentabilidade. Nossa agenda se concentrou na maximização da mobilidade sustentável, como andar de bicicleta ou caminhar pela cidade, e na promoção de ruas mais seguras”, afirmou Janette.

O trabalho para atualizar as vias da cidade americana foi grande e exibiu articulação entre todas as disciplinas de planejamento que tinham sido deixadas de lado. Outro fator determinante para o sucesso dessa “revolução urbana” foi a coragem de empreender:

“Quando apresentamos uma nova abordagem para a Times Square, a imprensa se posicionou fortemente contra nós. O nosso projeto piloto, que previa o fechamento do trecho entre as avenidas 42 e 43, na Broadway, teve como objetivo avaliar o impacto da mudança, e se a proposta seria boa para todo mundo. Quando fechamos a Times Square, eu estava animadíssima, mas percebemos que não tinha nada lá. Era um enorme vazio numa área de aproximadamente dois acres e meio. A solução encontrada foi comprar cadeiras de praia e espalhá-las naquele espaço. A ação fez o maior sucesso. Ninguém falou dos carros que não podiam andar naquele trecho, mas todos falaram das cadeiras de praia.”

O sucesso também é medido através de dados estatísticos: a taxa de motoristas feridos caiu em 63% e a de pedestres, em 35%. A mudança também trouxe reflexos positivos para o mercado varejista do entorno imediato do projeto piloto, com aumento significativo das vendas. “Desde que fechamos a Times Square, ela se tornou um dos dez maiores lugares de venda do planeta”, disse Janette.

Outro programa apresentado foi o Plazas de New York, que criou mais de 60 novos espaços de convivência na cidade. A proposta era que todo nova-iorquino estivesse a dez minutos de um lugar que fosse um espaço aberto. Como parte do programa, parcerias foram firmadas com as vizinhanças das praças e com ONGs, que trabalham na manutenção dos espaços. Ex-presidiários também foram integrados ao programa, capacitados em jardinagem para cuidar das árvores e plantas das praças. “É muito difícil um detento encontrar emprego após cumprir sua pena. O trabalho desenvolvido com os ex-presidiários é uma boa forma de recomeçar a vida”, justificou Janette.

Após a apresentação da palestra da Janette Sadik-Khan, aconteceu um debate mediado pelo jornalista Rogério Daflon. Ele recordou que, quando era repórter do Globo, teve muita dificuldade em conseguir dados sobre os acidentes de trânsito, mas persistiu e descobriu que em 2012 foram registrados no Rio de Janeiro 22 mil acidentes e cinco mil atropelamentos. Ao falar dos números, Daflon perguntou como os dados do trânsito de Nova York contribuíram para direcionar as ações da prefeitura.

Segundo a ex-secretária de transporte, foram levantados dados de um intervalo de seis anos. Foi a maior análise já realizada em Nova York, onde foi possível verificar quem estava se machucando, onde e por qual motivo. “Essa análise se tornou a nossa pedra fundamental e direcionou os investimentos, além de identificar os locais prioritários de intervenção, seja para redução de velocidade, criação de vias de mão dupla etc. Com base nesse estudo, nossa estratégia foi identificar onde tínhamos que priorizar o trabalho.”

Janette também foi perguntada sobre o impedimento do crescimento desordenado do comércio ambulante nas áreas de intervenção de Nova York. Ela explicou que, com o programa Plazas, foi criado um acordo de concessão de espaço, que ajudou a regulamentar o uso do espaço público. E destacou o trabalho conjunto com a polícia e com a secretaria de segurança.

A palestra com Janette Sadik-Khan foi promovida pelo Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), com apoio do IAB-RJ e do Movimento Rio Como Vamos. A proposta foi apresentar experiências bem sucedidas em mobilidade e planejamento urbano em solo americano, para inspirar cidades brasileiras a enfrentarem seus desafios.

Fonte: Instituto dos Arquitetos do Brasil – RJ

Autor: Tuca Näher

Administradora; Sócia-fundadora, Diretora Financeira e Conselheira Consultiva do Instituto DBike; ativista social engajada em causas ecológicas e beneficentes. Co-fundadora das Campanhas Vou de Bike e Eco Pensar, atuando nas redes sociais Facebook e Twitter desde 2010.

Compartilhe Esta Publicação